Seções

29 setembro, 2009

Conto - O Verdadeiro Dono da Noite

A bruxa fitou-me nos olhos. Sua retina rasgada por infecções e irritações alquímicas, combinada à córnea opaca e leitosa, não me deram certeza de que esta podia enxergar meu rosto. Mas cega ou não, ela vislumbrava o interior das janelas de minha mente.

O hálito pútrido, da boca quase sem dentes, empesteou o ar instantaneamente, me forçando a prender a respiração para não ceder à náusea. O nariz adunco, oleoso e inflamado por inúmeros furúnculos e erupções, por pouco não encostava em meu rosto. Graças a minha situação, caído no piso úmido e frio da cabana, com as mãos apoiadas para trás para manter-me sentado, a doentia criatura recurvada e corcunda tornava-se pouco maior do que eu. A proximidade física e a sensação de impotência me preencheram com um misto incômodo de pavor e asco. Eu era sua presa.

Com uma força surpreendente para uma criatura de aparência tão debilitada, a velha segurou meu rosto com uma de suas mãos, já tão enrrugadas que nem pareciam revestidas de pele humana. As unhas negras e sujas, decoradas com sangue coagulado, enterraram-se com facilidade em minha carne. Meu pescoço estalou com o puxão violento que veio a seguir.

"Criança... Veio morrer ou matar por mim? - perguntou a criatura, com uma voz estridente e falha. Seu olho mais conservado me analisou por completo.

Minha falta de reação, somada à expressão de pânico que ostentei, não deixaram dúvidas quanto a natureza de minha visita. Eu era apenas um incauto, acometido por curiosidade súbita, dentro do covil de um ser nascido de um pesadelo. Sem propósito ou motivos, minha jornada terminaria tragicamente.

As unhas se cravaram com mais força, fazendo o sangue esvair de meu queixo e pescoço. "Veio pra morrer... És um presente da noite, pra mim!" - a voz soou mais arrastada desta vez, quase como um pensamento em voz alta.

Exitando, talvez intrigada com a situação, a velha deteve mais um olhar demorado em meus olhos. A iluminação mórbida da lareira próxima me proporcionaram um vislumbre lúgubre do local e de minha captora. Pude notar seus cabelos apodrecidos recaindo-lhe sobre parte da face, tingidos displicentemente por fungos esverdeados e adornados por pequenas carcaças de animais e fezes ressecadas, presas acidentalmente. Não haveria no mundo, sobre o inferno ou fora dos pesadelos, refúgio mais imundo para uma criatura.

Um segundo puxão violento me tirou do transe. Meu pescoço e ombros estalaram, como se os ossos tivessem sido retorcidos abruptamente por debaixo dos músculos. Resetei-me para frente, as duas mãos segurando meu corpo contra o chão. Uma risada histérica retumbou na choupana.

Com um movimento frágil e trêmulo, a bruxa sacou uma adaga enferrujada, de dentro dos trapos que vestia. A lâmina cega, escurecia pelas sombras do local e por uma grossa camada de sujeira, desfilou em frente aos meus olhos, pouco antes de ser levada à língua áspera da criatura. Um filete de sangue purulento gotejou sobre a lâmina, enquanto sua detentora pôs-se a recitar algum encanto profano, que meus ouvidos jamais escutariam novamente.

Eu me tornara parte de um ritual. Um ingrediente fundamental de uma arte proibida. Um sacrilégio.

Sem forças para reagir, em parte pelo extremo cansaço físico e mental que o dia exaustivo me impusera, em parte pelo despreparo causado pela surpresa, em parte graças ao maligno feitiço causado por seu olhar; me resignei a aceitar tal destino.

Acompanhando o breve balbuciar que finalizou a conjuração do feitiço, uma lâmina desceu vertiginosamente rumo à vítima da ocasião.

Sangue pôs-se a jorrar...

- O Homem Que Se Chamava Mabreu, Capítulo 5: Tudo Morre.

21 setembro, 2009

Qual o sexo do seu cérebro?


Segundo uma matéria do site de notícias G1, pesquisadores descobriram que o sexo do cérebro de um indivíduo está desvinculado ao sexo de seu corpo. A pesquisa realizada aponta que o modo de agir e pensar, bem como algumas características sociais, estão diretamente ligadas à quantidade de testosterona no cérebro, durante a fase de desenvolvimento do feto.

Vale a pena ler a matéria na íntegra, e fazer o teste psicológico para descobrir que características se destacam no seu comportamento.

Em nível de curiosidade: eu tenho um cérebro misto (valor 10 na tabela). Sou um potencial "paizão", hehehe.

Fonte: G1

Obs: Cabe lembrar aqui, palhaços de plantão, que estas características não definem se um indivíduo será heterossexual ou não, mas sim quais elementos comportamentais se destacarão na sua personalidade. Ex: Se ele será individualista, agressivo, protetor, intuitivo, racional, etc.

18 setembro, 2009

A Reportagem-HQ

Boa tarde amigos do Astronauta das Marés (Tem alguém vivo aí?). Estava fuçando no pc hoje e encontrei meu TCC mofando em uma pasta qualquer. Dei uma lida por alto e lembrei que cheguei a ter o interesse de um dia, quem sabe depois de algumas modificações e apronfundamentos do tema, vir a publicar o material da monografia sob o formato de livro.

Como acho que isso não vai acontecer tão cedo, pensei que seria legal disponibilizá-lo para download, para aqueles que tiverem curiosidade sobre o tema, ou mesmo para auxiliar os estudantes que pensam em fazer algum trabalho sobre o tema.

O TCC é sobre a utilização do formato/linguagem de histórias em quadrinhos para a Produção de reportagens e documentários jornalísticos. E, embora hoje eu tenha certeza de que poderia ter aprofundado muito mais o tema, e explorado o assunto de uma forma mais dinâmica, acho que o material pode ser de utilidade para alguns (E pows, eu tirei 10 nesse trabalho! Não é possível que ele seja de todo ruim... Hehehe...).

No mais, espero que façam bom proveito. E se forem utilizá-lo como recurso para algum trabalho posterior, peço que citem como referência bibliográfica.

Para fazer o download é só clicar aqui.

Abraços a todos.

15 setembro, 2009

Diários

As diferenças fundamentais entre o homem e a mulher:

Diário Feminino

No domingo a noite ele estava estranho. Saímos e fomos até um bar para tomar uma cerveja. A conversa não estava muito animada, de maneira que pensei em irmos a um lugar mais íntimo. Fomos a um restaurante e ele ainda agindo de modo estranho. Perguntei o que era, e ele disse que nada, que não era eu, mas não fiquei muito convencida. No caminho para casa, no carro, disse-lhe que o amava muito e de toda sua importância. Ele limitou-se a passar o braço por cima dos meus ombros.

Finalmente chegamos em casa , e eu já estava pensando se ele iria me deixar! Por isso tentei fazê-lo falar, mas sem me dar muita bola ligou a televisão, e sentou-se com um olhar distante que parecia estar me dizendo que estava tudo acabado entre nós.

Por fim, embora relutante, disse que ia me deitar.

Mais ou menos 10 minutos ele veio se deitar também e, para minha surpresa correspondeu aos meus avanços, fizemos amor. Mas depois ele ainda parecia muito distraído e adormeceu.

Comecei a chorar, chorei ate adormecer. Já não sei o que fazer.
Tenho quase certeza que ele tem alguém e que a minha vida é um autêntico desastre.

 
Diário Masculino

O meu time perdeu.

Fiquei chateado a noite toda. Mas pelo menos dei umazinha.

Mas ainda tô chateado…

Time de bosta!

10 setembro, 2009

Matemática Mística: 2+2 = 5


Não sei se tem fundamento, mas achei este cálculo bem legal.
_____________________________________________________________

2+2 é igual a 5

Começamos com a seguinte igualdade, que é verdadeira:

16-36 = 25-45

Somamos (81/4) nos dois lados, o que não altera a igualdade:

16-36+(81/4) = 25-45+(81/4)

Isso pode ser escrito da seguinte forma: (trinômio quadrado perfeito)

(4-(9/2))2 = (5-(9/2))2

Tirando a raiz quadrada em ambos os lados temos:

4-(9/2) = 5-(9/2)

Somando (9/2) nos dois lados da igualdade temos:

4 = 5

Como 4=2+2 chegamos a seguinte conclusão:

2+2=5

_____________________________________________________________

Alguém que realmente entende de matemática pode explicar essa parada?