Seções

14 julho, 2014

Frase da Semana


"Saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu."

- Pedaço de Mim, Chico Buaque de Holanda

26 junho, 2014

Nossa História

"Poderíamos juntar nossas palavras e formar uma poesia. Eu, metáforas; você, rimas.
E mesmo que soasse uma tragédia, seria uma história digna de ser contada.
Sem direito a um ponto final."

- MBBF, 26/06/2014

15 junho, 2014

Augúrio

As vozes vieram falar comigo hoje, apos anos de silencio. Falaram de morte, perda e sofrimento. Creio que devo me preparar para algo ruim.

06 junho, 2014

Frase da Semana

"A bem verdade é que neste mundo de aparências, tornou-se bela a exposição implícita da solidão e da carência, mas proibida a transparência do sentir."

04 junho, 2014

E se...

...A humanidade é uma raça alienígena que invadiu a Terra há centenas de milhares de anos, exterminou todos os habitantes originais e colonizou o planeta, para depois esquecer de seu passado por conta de um desastre natural?

...Você é a única forma de vida existente no universo e toda a criação não passa de uma ilusão criada por você mesmo, para não acabar enlouquecendo em solidão? E todas as outras pessoas só existem como artifícios da sua mente para interagir com você e manter a impressão de que você não está sozinho?

...As pessoas re-encarnam em outras épocas, anacronicamente, apenas pra vivenciar aquilo que precisam vivenciar. E não existe presente, passado ou futuro?

...O único espírito ou alma existente no mundo é a sua, e todos os demais seres vivos do planeta é você mesmo, encarnado em diversas versões de tempo, forma e propósito?

...Todas as células do seu corpo são seres conscientes em uma escala microscópica, e o seu ego e tudo o que você interpreta como identidade própria não passe de uma interface artificial criada por elas para interagir com o mundo e tentarem sobreviver? Você seria apenas um robô biológico artificialmente inteligente que acha que tem livre arbítrio.

...Deus morreu ou foi embora depois do 7º dia?

...Os intervalos entre os minutos nunca passarem de fato e cada versão sua de um milésimo de segundo atrás estiverem agonizando, presas na eternidade congelada do passado para sempre?

...As cidades forem seres vivos que se alimentam da energia psíquica, medos, anseios e temores dos seres humanos?

...Neste exato momento, há uma inteligência artificial global interpretando e aprendendo com tudo o que você faz pelo computador?

...O seu reflexo for um ser vivo de outra dimensão que, por singularidades do multiverso, age sincronicamente com você todas as vezes em que se vê refletido?

...Todas as decisões que você toma e ações que você faz criam trilhas paralelas de tempo, e a sua consciência atual nada mais é do que uma versão do seu anterior que seguiu por esse caminho do presente? O seu Eu de um dia atrás pode estar morto nesse exato momento.

...O amor da sua vida foi alguém que você dispensou no passado e agora você espera por esse alguém sem saber que já perdeu essa chance?

...A entropia, a dor, o sofrimento e a indiferença são a forma e os elementos naturais que compõem o mundo? E ao lutar por e buscar o bem, o conforto e as virtudes estamos contrariando o universo e sua natureza?

...Os seres humanos são anjos caídos em estado de castigo ou demônios arrependidos tentando voltar para o paraíso?

...Existem duas ou mais almas coexistindo no seu corpo, mas como você nasceu assim, nenhuma delas percebe a própria individualidade e por isso se interpretam mutuamente como facetas de consciência de um mesmo indivíduo?

...Não existe absolutamente nada além daquilo que conhecemos, e cada estrela, fenômeno natural, lei da física ou conhecimento só passa a existir a partir do momento em que tomamos conhecimento dele ou quando nos indagamos/cogitamos a respeito?

...Você vive de trás pra frente e tudo o que você fez hoje nada mais é do que vivenciar a história do mundo ao contrário?

...Você não tivesse perdido todo esse tempo lendo esse post e ao invés disso estivesse estudando, praticando um exercício ou trabalhando?

(Eu poderia chamar esse post como Heresias. Seria até mais apropriado...)

26 maio, 2014

Crônica - Nebular

Olhei pro céu hoje e vi um tapete frio, nebuloso e escurecido me separando da velha sensação familiar que tive em minha primeira epifania verdadeira.

Onde outrora havia um telhado azul, com um sol de bilhões de anos iluminando o mundo, naquele momento reverberava a melancolia de sentir-se desconectado.

Embora fosse sabido que logo ali, há milhares de milhares de medidas imensuráveis de distância fulguravam estrelas, que mesmo há um infinito de lonjura faziam parte de mim, o teto branco impenetrável e austero fez-me sentir solitário.

Melancólico, procurei sentido e lição no que o céu poderia me ensinar. E tive, não com a mesma intensidade, deslumbramento ou majestade quanto a primeira, uma nova epifania.

Existem coisas nos separando. Existem, de fato, dias frios e nuvens densas. Existem momentos em que o onipresente azul celeste e o infindável negrume espacial estão além de nossos sentidos e de nossos pequenos "eus" de dimensões pequenas. Somos, ainda que entidades cósmicas, minúsculos componentes autômatos e individuais. Pedacinhos significantes buscando o próprio significado.

Este outro lado, curiosamente, não me trouxe o mesmo assombro que tive com a primeira epifania. Creio que antes de compreender o que realmente somos como todo, existe em nosso íntimo uma noção parca do que somos como parte.

Meros espectadores do infinito.

Esquina

Me desligando da Esquina dos Mundos...

Matei não um, mas vários sonhos.