Seções

19 novembro, 2007

Aí então...

...as pessoas caem da cama e acordam. Depois de uma década em sono profundo. Depois de sonharem durante uma noite conturbada, repleta de pesadelos esverdeados e vermelhos-ferrugem. Uma névoa mental com cheiro de fuligem paira sobre seus pensamentos. A noite pareceu ter durado 6.000 anos, mas finalmente acabou.

Aí então, todos os homens, mulheres e crianças do mundo - alguns nem tão homens, nem tão mulheres e, surpreendentemente, nem tão crianças - arregalam os olhos enlameados pela goma onírica, e bocejam em silêncio perplexo. Morreram centenas de vezes em suas vidas ilusórias. Vidas curtas demais, que perdiam o sentido a cada tentativa. Muitas vezes tentaram gritar para acordar a si mesmos, mas o máximo que conseguiam era um curto período de real consciência. Curiosamente desencadeado pela morte de suas projeções oníricas.

Aí então, vislumbraram o quão distante de sua real essência foram seus atos naquele mundo de pesadelos. Haviam tornado-se monstros. Crias de carne, suicidas, que se intoxicavam por prazer, e depredavam o mundo virgem. Moldaram os sonhos em horrores, para depois fugirem para lugar nenhum.

Aí então, levantaram. Lívidos. Completos. Mortos antes de viverem; vivos sem temer a morte. Talvez nem todos tenham aprendido as lições que o mundo duro de seus sonhos tinha para ensinar. Mas desta vez não errariam novamente.

Aí então, mais perto de seu criador, humildes e sábios, olharam para os céus e para os semblantes de seus iguais. Todos tão idênticos, e tão diferentes. Perfeitos onde o limite de suas perfeições os limitava. Redundantes. Mas não se deram conta de que haveriam outros passos em seus caminhos. Outros sonhos. Não se deram conta de que ainda estavam dormindo. Não eram, de fato, perfeitos. Jamais seriam.

Aí então, seu criador - juntamente com toda a criação - sorriu orgulhoso. Como um pai que admira o mais largo passo das encurtadas pernas de seus filhos. Uma medíocre e ínfima evolução no caminho sem fim. Ainda assim digna de um sorriso.

Aí então... continuaram seu sono. Ainda acreditando estarem acordados.

10 comentários:

  1. Amei esse teu blogger... Vou virar frequentadora!

    ResponderExcluir
  2. isso é uma espécie de prólogo do que está por vir? hehe
    abração

    ResponderExcluir
  3. tava olhando os teus blogs...
    opinião pessoal: não gostei!
    parece q todos eles tão adotando o ponto de vista de um velho resmungão, q fala mal do governo, da sociedade e escreve textos longos e cansativos...
    como eu disse no iniciu, opinião pessoal

    ResponderExcluir
  4. E esse ser aí em cima realmente acredita que não há nada pra se reclamar ou prefere não ler os problemas pra fingir que não existem?

    Avida pra ele que no Humortadela.com.br tem um monte de piadinha grotesca que é curtinha e não vai cansar nada, nada.

    E eu não te esqueci, cãozinho da mamãe, mas não te tinha linkado no meu blog. Agora já estás =D
    §=********************

    ResponderExcluir
  5. Praticamente uma sensação spleen ...

    ResponderExcluir
  6. Nem sabia q este blog ainda tava ativado. E eu me pergunto... pra q tantos blogs???
    ehheehheh

    Mas enfim....

    Eu reativei o meu e vou adicioná-los lá.
    Visite-me. E eu não estou falando mais de cinema lá! :p

    ResponderExcluir
  7. Ahhh.. e a parte q eu mais gostei foi:

    "Mortos antes de viverem"

    Mto profundo isso!
    hehehehe

    ResponderExcluir
  8. nao entendi o astronauta!
    :p
    mas gostei dos textos
    abrços
    msn: priamo_18@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Se é que dormimos...

    ResponderExcluir

O Astronauta das Marés agradece profundamente pelos comentários de seus leitores. Cada interação do público com o blog me motiva, ainda mais, a postar novidades e escrever textos de qualidade. Obrigado pela força galera.

Ah, e comentários que iniciem discussões serão levados adiante, caso o assunto seja de relevância.